• Zelmute Marten

Federal Reserve aumenta taxa de juros em semana de elevação do tom entre Biden e Xi Jinping

O Federal Reserve (Fed), banco central dos EUA, elevou a taxa de juros em 0,75 ponto percentual. É quarta elevação desde março, com a meta de conter a inflação, que já rompe os 9% em doze meses. Os bancos centrais ao redor do mundo estão em fase de elevação de suas taxas. A pressão inflacionária é global. O BCE – banco central Europeu, na semana passada, confirmou a primeira alta da taxa de juros em 11 anos na Europa. Suíça, Austrália, Inglaterra e Canadá fizeram o mesmo. São relevantes os índices inflacionários ao redor do mundo nos últimos doze meses: Turquia 78,62%, Argentina 64%, Nigéria 18,6%, República Tcheca 17,2%, Rússia 15,9%, Polônia 15,5%, Chile 12,5%, Brasil 11,89%, Hungria 11,7%, Colômbia 9,67%, Inglaterra 9,4% e Estados Unidos 9,06%.


Em carta de conjuntura do Instituto de Pesquisa Aplicada – IPEA, analisando o panorama da economia global, Estêvão Kopschitz Xavier Bastos, pontua: “Os prognósticos de crescimento e inflação para a economia global Têm piorado devido à guerra na Ucrânia, cujos efeitos se sobrepuseram aos da pandemia, dos quais os países vinham se recuperando. O aumento e a persistência da inflação têm levado ao aperto da política monetária em diversos países. A escassez de oferta de alguns produtos devido à guerra adiciona pressão inflacionária. Destacam-se os mercados de commodities, que tiveram seus preços ainda mais elevados. Na China, a política de “Covid Zero”, baseada em rigorosos lockdowns, provocou quedas muito fortes nos indicadores de atividade econômica em abril. Em maio, alguns indicadores mostram recuperação”, destaca.


Neste cenário, amplia-se a possibilidade de racionamento de energia na Europa. A redução do abastecimento de gás à União Europeia por parte da Rússia, tem feito a Alemanha, maior economia do bloco europeu, correr para encontrar novas fontes de combustível e evitar o racionamento durante o inverno do Hemisfério Norte. O país, que possuía cerca de 50% do consumo interno de energia proveniente da Rússia antes da guerra, tem poucas opções, mas recebeu uma promessa da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, de que haverá um aumento nas exportações ucranianas de energia elétrica à Europa. Segundo o presidente afirmou em seu discurso noturno desta quarta-feira, 27, a Ucrânia “vai aumentar as exportações de energia para os consumidores da União Europeia” para ajudar a “resistir a pressão energética russa”.


O ambiente internacional recebeu novos contornos de tensão, com o telefonema de Joe Biden, para o presidente da China, Xi Jinping, nesta quinta-feira (28). Ao comentar por telefone sobre uma possível visita da presidente da Câmara dos Deputados americana a Taiwan, presidente da China disse ao presidente americano que “quem brinca com fogo acaba se queimando”. Disse ainda que a China se opõe firmemente à independência de Taiwan e à interferências de forças externas. Em um comunicado depois da ligação telefônica, o governo americano afirmou que a posição do país em relação à ilha não mudou, e que é contra esforços unilaterais que possam minar a paz em torno do território.

194 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo