• Zelmute Marten

A competitividade das cooperativas de geração de energia

O ambiente da transição energética tem favorecido a ampliação da competitividade das cooperativas de geração de energia. O cooperativismo tem sido um importante vetor de desenvolvimento da economia brasileira, responsável pela movimentação de R$ 500 bilhões no último ano, mobilizando 15 milhões de cooperados em cinco mil cooperativas em todo país, segundo dados da Organização das Cooperativas do Brasil – OCB. Na geração de energia renovável, o setor tem oferecido uma relevante contribuição na estruturação de usinas fotovoltaicas. Através de PPA’s estabelecidos em diversos setores da economia, sistemas de mini e microgeração distribuída estão gerando empregos no Brasil e no Rio Grande do Sul. Bo caso gaúcho com destaque para a cooperativa Creral.

Atuando dedicadamente no desenvolvimento deste segmento, o Instituto IDEAL tem fornecido uma valiosa contribuição na elaboração e publicação de estudos como: O Potencial de Las Cooperativas de Energias Renovables en América Latina – La Generación Distribuida en Brasil, Chile y México. Resultado de uma cooperação entre o Instituto IDEAL e a Confederação Alemã das Cooperativas (DGRV), juntamente com a OCB e outras instituições, o estudo analisa similaridades e diferenças em relação a temas como política climática, marcos legais no setor energético, políticas públicas, programas de desenvolvimento do setor energético e características da Geração Distribuída em cada país. “É um passo na construção do conhecimento sobre energias renováveis e cooperativas, algo tão importante para a nossa América Latina”, declarou o presidente do Instituto IDEAL, Mauro Passos.


A partir de uma trajetória de vida dedicada a organização do cooperativismo de base familiar, atuante nos temas relacionados à transição energética como coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Mini e Microgeração Distribuída de Energia da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, o deputado estadual Zé Nunes, presidente da Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, aprovou a realização de audiência pública virtual que será realizada no dia 25 de agosto, às 10h, nos trabalhos da Comissão. O evento terá uma apresentação inicial da integrante da Rede Brasileira de Mulheres pela Energia Solar, Diretora do Instituto IDEAL, pesquisadora do Centro de Pesquisa Estratégica em Energia Solar da Universidade Federal de Santa Catarina, Kathlen Schneider, premiada pelo Student Award pelo artigo: Shared Solar Cooperatives in Brazil: Context, Overcoming Barriers and Lessons to be Drawn from Previous European Countries Experiences.


O espaço de exposição será compartilhado entre a diretora Kathlen Schneider, o presidente do Instituto IDEAL Mauro Passos, Fábio Rosa do Instituto IDEEAS, ABSOLAR, ABGD, Universidades, empresas, entidades da sociedade civil que estão atuando conjuntamente em defesa do mini e microgeração distribuída através da Frente Parlamentar. Em especial, a oportunidade será também um momento de intensificar a mobilização pela aprovação do Projeto de Lei 5829 que tramita no Congresso Nacional. Assim como a apresentação dos benefícios do Fundopem Cooperativas que está priorizando a disponibilização do benefício para cooperativas de geração de energias renováveis. Os recorrentes eventos climáticos extremos, os desafios em torno da diversificação da matriz energética brasileira e a necessidade da recuperação da economia global pós-pandemia da Covid-19, encontram na geração de energias renováveis um caminho de colaboração com a superação deste ambiente de crise estrutural. Para tanto, uma iniciativa mais efetiva do Estado na indução do desenvolvimento econômico e social, concebendo concertações, sinergias, cooperação interinstitucional, incentivos, apoio à inovação, educação, ciência e tecnologia são decisivos. E a competitividade das cooperativas de geração de energia tem colaborado sobremaneira neste contexto.

171 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo